OBRAS NO PERÍODO DE CHUVAS

     A execução de obras durante o verão (época de chuvas) normalmente implica em um gasto maior do que o verificado em períodos de estiagem, pois a chuva pode deixar os trabalhadores parados, desfazer serviços prontos e estragar materiais mal armazenados. Contudo, um planejamento adequado e a adoção de certos cuidados podem evitar maiores prejuízos.
     O ideal é que a fase de fundações seja concluída o mais rapidamente possível. Para essa etapa, pode-se usar uma cobertura plástica sobre a área de escavação das fundações.
     O tipo de sistema construtivo também pode ajudar: o mais indicado é o de estrutura independente, em que sobe-se primeiro a estrutura da construção, que logo após é coberto com plástico ou, se possível, com o telhado definitivo, possibilitando que os trabalhos seguintes sejam feitos em local seco.
     Pode-se construir a casa com tijolos cerâmicos ou blocos de concreto, que reduzem consideravelmente os acabamentos externos e internos necessários. Vale lembrar que o concreto usinado, embora mais caro, tem secagem muito mais rápida do que o produto feito na obra. Se for preciso, inclusive, pode ser usado um acelerador de secagem de concreto (tipo aditivo).
     No caso de sobrados, por algum tempo pode-se usar, como cobertura, a laje que serve de forro do telhado ou de piso do segundo pavimento, evitando assim o trabalho a céu aberto. Assim, o telhado fica para um momento mais tranqüilo na obra, devido à sua complexidade.
     Não se deve persistir na execução de alguns itens quando a umidade no ar for muito elevada ou no caso de chuvas iminentes. O exemplo vale principalmente para a abertura de valetas durante as fundações, a execução dos contrapisos ou das alvenarias a céu aberto. A insistência nessas situações significa serviço a ser refeito. Além do gasto com materiais, os operários podem pedir para receber em dobro pelo trabalho se não estiverem sendo bem administrados.
     A mão-de-obra é um fator que exige administração séria e profissional. Uma primeira dica é sempre fazer sua contratação por empreitada. Divide-se a construção em etapas e paga-se cada uma delas, após sua execução. Dessa forma, o construtor não é tão prejudicado se as chuvas se prolongarem por vários dias. É claro que, para administrar os trabalhadores, é preciso jogo de cintura. O adiantamento de uma parte de pagamento, durante as chuvas, evita que os operários desistam do serviço. É importante que os funcionários estejam legalmente contratados para que mais tarde não fiquem pendentes problemas trabalhistas, no caso de a obra ter ficado muito tempo parada por razões que fogem ao controle dos operários.
     Seguem abaixo outras recomendações que também são úteis:
     • tijolos de barro devem ser cobertos com uma lona plástica;
     • uma mureta de alvenaria para guardar areia evita que ela escorra com a água da chuva;
     • um barracão para estocar materiais feito com placas de madeirite e coberto com telhas de fibrocimento.

Fonte: Revista Arquitetura & Construção - jan/97.

Nova Busca - Dicas
Palavra Chave