SISTEMAS DE AQUECIMENTO DE ÁGUA

     É importante que o sistema de aquecimento de água seja definido já na fase de projeto, uma vez que sua instalação adequada exige certos cuidados que interferem diretamente no desenho da planta, tais como a inclinação do telhado e as instalações elétricas e hidráulicas.
     A escolha do aquecedor depende do tipo de energia a ser utilizado para esquentar a água: elétrica, a gás ou solar. A partir daí, é definido o sistema de alimentação dos equipamentos:
     • por acumulação, em que a água aquecida fica armazenada em boilers instalados no forro ou em falsos armários;
     • de passagem, em que a água é aquecida gradualmente, à medida em que passa pelo aparelho.
     Um fator importante é a localização do imóvel. O sistema a gás, por exemplo, fica mais prático em cidades servidas por gás de rua e em regiões próximas a bacias coletoras, como o Rio de Janeiro. Já a opção pelo aquecimento solar é perfeita para regiões em que a incidência do sol é constante.
     O aquecimento solar merece algumas explicações: trata-se de um conjunto incluindo um coletor, um boiler e um sistema de aquecimento elétrico acoplado. O coletor é a placa para captação da energia dos raios solares, transformando-a no calor que aquece a água fria. Seu número varia de acordo com a capacidade do boiler (o reservatório que armazena a água quente): uma ou duas placas para boilers de 150 litros, duas para 200 litros, duas ou três para 250 litros e quatro a cinco para 300 litros. Como regra geral, o boiler deve ser instalado em posição superior aos coletores. Estes devem estar voltados para o norte, e sua inclinação deve ser igual ao ângulo da latitude local acrescido de 5 a 10 graus.
     De forma geral, os fabricantes fazem as seguintes recomendações:
     • os aquecedores devem ser alimentados pelo reservatório superior de água fria (caixa d'água), nunca diretamente pela rede pública (água da rua), evitando assim que o aparelho seja afetado pela falta de água;
     • antes de usar o equipamento pela primeira vez, verficar se as ligações de gás e hidráulicas estão de acordo com as especificações do manual de instalação;
     • deve ser verificado se a empresa instaladora colocou uma válvula de segurança ou respiro nos modelos de acumulação a gás, pois esse acessório de proteção alerta quando o aparelho está com problemas;
     • o queimador do aquecedor nunca deve ser acendido sem antes verificar se o reservatório (nos modelos de acumulação) está cheio de água;
     • o aquecedor nunca deve ser acoplado à mesma válvula que alimenta a descarga;
     • para evitar o acúmulo de sedimentos no interior dos aquecedores com sistema de acumulação, deve-se, uma vez por mês, deixar escoar, pelo dreno de limpeza, cerca de 20 litros de água do aparelho;
     • para obter pressão satisfatória nos pontos de consumo, o fundo da caixa d'água fria deve estar a pelo menos 1 metro acima do forro;
     • ao instalar o sistema em casas (baixa pressão), certificar-se de que a bitola da tubulação de alimentação de água fria seja maior que a do ponto de entrada do aquecedor, melhorando a pressão da água;
     • de acordo com as normas de segurança da ABNT, é proibida a instalação de aquecedores a gás em forros, armários embutidos, nichos internos ou qualquer local sem ventilação permanente.
     A tabela abaixo mostra os diversos tipos de aquecedores e suas principais características:

. TIPOS
Elétrico
Passagem individual Passagem central Acumulação
Vantagens compacto e fácil de instalar, dispensando tubulação compacto água quente para uso imediato e boa pressão de água
Desvantagens custo do kw, baixa pressão e pouca vazão de água custo do kw e pouca vazão de água custo do kw
.
. A gás
Passagem Acumulação
Vantagens pressão de água melhor que nos modelos de passagem elétricos água quente para uso imediato; pressão de água melhor que no similar elétrico
Desvantagens risco de vazamento se não seguir especificações; dificuldade em manter a temperatura baixa risco de vazamento se não seguir especificações
.
. Solar
Acumulação
Vantagens custo de aquecimento zero, em regiões de sol constante
Desvantagens custo do aparelho; em regiões pouco ensolaradas, o sistema elétrico é acionado constantemente

 

Fonte: Revista Arquitetura & Construção - jul/97.

Nova Busca - Dicas
Palavra Chave