SISTEMAS PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO

     As vantagens oferecidas pelo construção pré-fabricada são a rapidez, a limpeza da obra, a garantia da construção, a indicação da mão de obra e a possibilidade de combinação de materiais diferentes. As desvantagens são o preço relativamente alto, a necessidade do projeto ser modular, a possibilidade de apresentar fissuras na junção entre placas e a dificuldade de reformar a casa.
     Na construção pré-fabricada de concreto, são montados no terreno as vigas, os pilares, as lajes e os painéis para fechamento das paredes. Em alguns casos, a empresa oferece até os acabamentos. Quando há muita pressa e restrição de orçamento, é possível utilizar plantas padronizadas, desenhadas pela empresa, e assim receber a casa prontinha.
     Não há regras específicas para definir o melhor sistema: casa pronta ou só estrutura, com paredes e telhado, sem acabamento. O desempenho do melhor sistema pode variar de acordo com as condições do terreno e com o projeto a ser executado. Um arquiteto ou engenheiro poderá ajudar a escolher o mais adequado, avaliando as condições de seu terreno - umidade, clima, tempo de exposição ao sol e ventos.
     Cada construtora dispõe de um tipo de serviço e produto. Os painéis de fechamento (placas que associam materiais diferentes - concreto, telas de aço ou chapas de isopor) têm espessuras que variam de 3 a 14cm.
     O isolamento térmico é o último fantasma que assombra as construções pré-fabricadas de concreto. Com paredes mais finas que as tradicionais, os ambientes tendem a perder calor rapidamente e a se tornarem frios à noite. Para que isso não ocorra é necessário um bom projeto, uma vez que a definição do número de janelas e insolação tem tanta influência na sensação térmica quanto a espessura da parede ou o material. Ou seja uma parede fininha, empregada em um bom projeto, será tão eficiente quanto outra mais espessa.
     Algumas regras genéricas são:
     • se a casa estiver em uma região que sofre grande variação de temperatura durante o dia (capital de São Paulo, por exemplo), deve-se preferir as paredes de concreto maciço - elas permitem que o calor entre aos poucos durante o dia e só seja sentido a noite;
     • numa região mais quente (no caso do Nordeste), as paredes isolantes (que têm isopor ou espaço vazio entre a face interna e a externa) são mais adequadas, e o projeto deve prever bom sombreamento, evitando que o calor chegue ao interior pela parede ou pelas janelas;
     • em regiões frias (como no sul), as paredes isolantes também podem ser utilizadas, mas o projeto deve permitir que o sol entre pelas janelas durante o maior tempo possível.
     É importante, antes de decidir por este tipo de construção, verificar se há restrições municipais. Em relação ao contrato com a empresa, é bom vincular o pagamento às etapas da obra.

Fonte: Revista Arquitetura & Construção - jun/98.

Nova Busca - Dicas
Palavra Chave